jucamariano

variedades



Sábado, Setembro 07, 2002


A falta de habilidade para envio das matérias fez com que os tópicos ficassem fora de ordem portanto para ler você sobre a semente que cura dor de coluna, use a seqüência abaixo e se você quiser comentar sobre nossas publicações entre em contato conosco através do e-mail: jucamariano@globo.com

1) Chapéu-de-napoleão – uma semente com incrível poder de cura
2) Cura é supertição já antiga
3) "Não é simpatia e nem magia"
4) Chapéu-de-napoleão é um cardiotônico
5) Presidente recebeu as sementes

postado por: wanir vasconcelos de meneses 2:15 PM


Sal a Gosto

Esta é a expressão usada nas receitas de culinárias. E como todos acham que sal não tem diferença e identificam apenas que há sal fino e sal grosso, aí está um “ovo de Colombo” (1). O sal fino tem muita diferença entre o moído e o refinado. É aí que reside todo um segredo de saúde e de paladar.
Eu, por exemplo, descobri essa grande diferença por acaso. Minha mãe – a Dona Mariete – quando residia em Divinópolis-MG, no início da década de 80, fazia questão de comprar somente sal de Mossoró, no Mercado Municipal, onde havia maior oferta. Dizia que outro sal, produzido em outra cidade a deixava com os pés inchados. Um dos sintomas da retenção de líquidos no organismo.
Foi aí que descobri que todo sal de Mossoró é moído e o segredo está no fato ser moído. Descobri também que este sal não queima os lábios como o sal refinado e o sal moído ainda permite que você sinta o sabor de outros temperos, como o alho, a pimenta, etc.
Mais tarde percebi que nas prateleiras dos produtos dietéticos, o sal moído aparece rotulado de Sal Marinho, Sal Natural, etc.
Portanto o sal moído ou marinho além de fazer bem à saúde é também um ingrediente importante para quem deseja fazer sucesso na cozinha. Ele é o tempero exato para um prato saboroso.
E para dar um exemplo clássico, experimente fazer um churrasco com sal refinado, ao invés do sal grosso que é sal marinho e natural. A carne vai ficar salgada e o seu sabor desaparece.
Além dessas vantagens o sal moído ou sal marinho substitui com vantagens a pasta dental. Se uma vez por dia a pessoa fizer a escovação dos dentes com esse sal além da higienização consegue evitar as doenças gengivais e a cárie. Não se divulga isto porque se a população fizer uso em massa do sal para escovar os dentes haverá sérios prejuízos para as fábricas de pasta dental e um grande desemprego de dentistas.

(1) A expressão “ovo de Colombo” significa a coisa que não se soube fazer e que acha fácil depois de realizada por outro. Conta-se que Cristóvão Colombo voltou à Espanha como herói por Ter descoberto a América. Uma das homenagens foi um jantar oferecido pelo cardeal Pedro Gonzalo de Mendonça. Alguns convidados, entretanto, passaram a menosprezar sua viagem, afirmando que qualquer um poderia descobrir o novo continente. Foi aí que Colombo deu a sua tacada de mestre. Propôs que todos colocassem um ovo em pé. Vários tentaram e nenhum conseguiu. Na sua vez, Colombo quebrou uma das extremidades do ovo, que ficou em pé. Dessa forma, a expressão “ovo de Colombo” passou a significar uma coisa fácil de ser realizada depois que alguém a tenha colocada em prática.

postado por: wanir vasconcelos de meneses 1:49 PM


O sal nosso de cada dia

O uso do sal remonta ao antigo Egito, onde era utilizado tanto para adicionar sabor aos alimentos, como para limpar e amaciar a pele, além de ser aproveitado nos processos de mumificação dos mortos.
Nos dia atuais, o sal é alvo de elogios e críticas dependendo de como é utilizado. Segundo o cardiologista Alexandre Santos, do Hospital Santa Paula (SP), “o sal já é considerado um fator isolado de risco para aqueles que têm tendência à pressão alta ou apresentam problemas cardíacos”. Quando usado em grandes quantidades no preparo dos alimentos, o sal leva a um aumento de pressão sangüínea e pode provocar um infarto. Por colaborar com a retenção de líquido no organismo, provocando inchaço de pernas, braços, mãos e ao redor dos olhos, ele também pode acentuar um quadro de insuficiência cardíaco.
Apesar de tão criticado quanto aos risco apresentados, o médico Alexandre Santos alerta que ninguém, nem mesmo quem sofre de doenças do coração, pode eliminar o sal de vez da alimentação. “Faltaria sódio no organismo, o que também prejudicaria seu funcionamento e poderia causar até mesmo distúrbio neurológicos.
Se o sal pode oferecer riscos à saúde, por outro lado, é uma substância utilizada em larga escala pela indústria da beleza. Suas propriedades naturais de limpeza, tonificação e adstringência garantem presença quase obrigatória em diversas fórmulas cosméticas, desde esfoliantes até xampus. “O sal garante, por exemplo, maior viscosidade aos xampus e ajuda a fazer espuma. Porém, quando utilizado em altas concentrações pode provocar irritação da pele e nos olhos. Há inclusive pesquisas que estudam a relação entre o uso de sal na formulação de produtos para cabelo e a inibição do crescimento dos fios”, explica a dermatologista Lilian Estefan, que costuma indicar o uso de cosméticos sem sal em sua formulação para pacientes com cabelos muito ressecados.
Em novas técnicas para eliminar gordura localizada, incluindo a lipoaspiração, o sal aparece como componente do soro fisiológico. “Essa solução salina atua como meio para perpetuação das ondas do ultra-som, que destroem as células de gordura. A seguir, a gordura dissolvida é aspirada por meio de um equipamento de sucção, atingindo grandes resultados do ponto de vista estético”, diz o cirurgião plástico André Cervantes Rodrigues Rodrigues, da Estética Onodera.

postado por: wanir vasconcelos de meneses 1:47 PM




O perigo do sal oculto

Os especialistas estimam que os brasileiros consomem cerca de 10 gramas diárias de sal. O ideal seria ingerir 6 gramas. Para quem tem pressa alta – os hipertensos – o limite seria a metade da medida às pessoas com pressão normal (3 gramas). Não são apenas as colheres adicionadas à comida as únicas culpadas por esse exagero. Muita gente não sabe que o condimento está presente na maioria das guloseimas doces ou salgadas do supermercado. Portanto, para calcular o quanto cada um ingere, não basta somar as pitadas acrescentadas no preparo das refeições. É necessário considerar o sal escondido nos alimentos”, conta Elaine Nicheli, nutricionista do Hospital das Clínicas de Porto Velho.
Não se engane, por exemplo, com a doçura de uma barra de chocolate ou de um sorvete de baunilha. Essas delícias levam uma boa dose de sal. Ele é usado na indústria de alimentação por vários motivos. Contrabalança um pouco o gosto do açúcar nos doces. Também é um conservante eficaz no caso das carnes e dos embutidos. O grande problema do consumo excessivo de sal são as conseqüências para o corpo. É composto de cloro e sódio e este último é o vilão. “Um dos seus efeitos é a retenção de água no organismo, elevando a pressão arterial”, explica Sara Krasilcic, nefrologista de São Paulo. Quanto mais líquido dentro do corpo, maior o volume de sangue passando por veias e artérias. Daí, elas se dilatam e surgem microrrachaduras nas suas paredes. A gordura se deposita nessas brechas, o que pode levar ao infarto, entre outros problemas.
Ingerido com moderação, ele é conhecido como bomba sódio-potássio. Esses dois minerais regulam a pressão, mantendo o corpo em equilíbrio.

postado por: wanir vasconcelos de meneses 1:45 PM


Chapéu-de-napoleão é um cardiotônico

O jornal "Estado de Minas", na sua edição do dia 11 de maio de 1998, trouxe uma matéria sob esse título, informando que o pesquisador francês, professor Henri Dadoun estava obtendo um medicamento cardiotônico a partir da semente de Chapéu-de-napoleão, cuja composição química é semelhante da Digitalis Lanata, planta européia conhecida por fornecer os medicamentos à base de digoxina e de lanatosídeo C.

Segundo o professor "a sua vantagem é de conter teores de composição ativos dez vezes maiores que os encontrados na Digitalis e de apresentar uma menor toxidade".

Presidente recebeu as sementes

No seu primeiro mandato, o presidente Fernando Henrique Cardoso queixava de dores na coluna. Tomei a liberdade de enviar-lhe algumas sementes e isto virou até notícia no jornal "O Globo", de 20.05.95. A matéria sob o título "FH já recebeu 370 presentes este ano", informava que "lista tem até remédio para a coluna".

No texto a referência: "Quando surgiram as primeiras notícias sobre a sua dor de coluna, o presidente recebeu de Juca Marinho (Mariano), de Divinópolis, oito sementes medicinais "Aguaí zen", também conhecidas como "Chapéu-de-napoleão" ou ainda "patuá de Santo Inácio".

O presidente, por sua vez, em 31 de janeiro de 1995, nos enviou um telegrama com o seguinte teor: "Acuso recebimento e agradeço envio sementes "Aguaí-zen", mensagem de apoio e solidariedade. Conto com sua ajuda para mudar o Brasil. Fernando Henrique Cardoso Presidente da República ".

Muitos usam a semente com sucesso

Ao longo desses anos, temos o hábito de distribuir essas sementes. Muitas pessoas que sofriam as dores na coluna hoje estão livres desse mal. Poderia citar vários nomes mas podemos destacar, o Frei Capeta (Frei Cristóvão), um padre franciscano e petista da melhor qualidade. Sempre faz questão de que está fazendo uso das sementes que lhe presenteamos. O engenheiro Mauro Lúcio Corumbá; o secretário municipal da prefeitura de Divinópolis, Valdir Antonio Rodrigues, o Pilinha; o presidente da FUNEDI/INESP, professor Gilson Soares, o acadêmico de Comunicação Social, Vanderlúcio Entreportes. São pessoas que conseguiram se livrar das dores de coluna usando a semente em contato com o corpo, no bolso ou no chaveiro.

Se você não encontrar a semente, nós podemos enviá-la pelo correio, gratuitamente, desde que nos envie um real em selos para pagar a postagem. Mande o seu endereço e os selos para Juca Mariano, rua Paraíba 410, sala 01 – centro – CEP 35500-016 – Divinópolis – Minas Gerais

postado por: wanir vasconcelos de meneses 1:38 PM


"Não é simpatia e nem magia"

Em 31 de julho de 1993, a revista Manchete publicou uma reportagem sob o título "As Sementes Milagrosa do Dr. Smith", onde o médico e professor da USP Dr. Henrique Smith, autor do livro "Aguaí Zen" surpreendeu a todos ao anunciar a descoberta de uma semente que, segundo ele, poderá "despontar como uma das grandes panacéias deste final de século". A semente emite uma vibração contínua que teria virtude de "fechar o corpo" do seu portador, servindo de couraça contra doenças e devolvendo ao homem o equilíbrio psíquico e o bem-estar físico.

"Não é magia e nem simpatia", diz o médico amante da macrobiótica e terapeuta natural. "As sementes de Aguaí têm um valor excepcional por sua composição química e pela energia que emana. O Aguaí emite vibrações que podem ser captadas pelos processos radiestésicos. Quando se utiliza um pêndulo ou um aurômetro , aparelho empregado para medir energia dos corpos, pode-se notar que as sementes manifestam uma atividade constante.

Transmitida para o homem, elas produzem em nós um equilíbrio completo, resolvendo conflitos, protegendo a saúde e gerando riquezas", garante.
Ela tem o feito emético muito enérgico, mas altamente tóxico, em doses mais elevadas. O ilustre pesquisador verificou que cada muda apresentava sementes masculinas, femininas e neutras.

Tirada dos frutos e postas de molho para amolecer os resíduos colados, algumas delas secas, pelo aurometro, descobriu que as que boiavam eram femininas e as que permaneciam no fundo eram masculinas. Usando um pêndulo sobre as sementes, percebeu que sobre as masculinas adquiriu movimento no sentido horário e, sobre as femininas ao contrário. Quanto às neutras, os movimentos foram desordenados. Dr. Smith também garante que a semente pode ajudar a pessoa a concretizar sonhos antigos desejos de ascensão profissional, por exemplo.

postado por: wanir vasconcelos de meneses 1:35 PM


Chapéu-de-napoleão – uma semente com incrível poder de cura




Usar uma pequena semente em contato com o corpo evita problemas de reumatismo e acaba com a dor de coluna. É o uso externo da semente energética de Chapéu-de-napoleão (Thevetia peruviana), de eficácia comprovada



Há mais de 11 anos, Omar Amaral Castro, um amigo funcionário da prefeitura, de saudosa memória, ao saber que eu estava com sérios problemas na coluna, onde a dor incomoda muito, pois além de dificultar a locomoção ela irradia por quase todo o corpo, me presenteou com uma semente, dizendo que bastava colocá-la no bolso e deixa-la em constante contato com o corpo.

Omar ainda informou que os antigos diziam que aquele arbusto plantado próximo da casa evita que o os moradores tenham problemas de coração. Ele teve ainda o cuidado de mostrar-me onde havia essas árvores nas vias públicas.

Passei a usar a semente e, realmente, nunca mais tive problemas com a minha coluna vertebral. Já a coluna de jornal esta, sempre, me rende um processo judicial.

Foi aí que passei a me interessar por esta planta. Trata-se de "um arbusto alto ou árvore pequena, com até 10m", conhecida popularmente como Chapéu-de-Napoleão, que pertence à família das Apocynáceas, catalogada, cientificamente, como Thevetia peruviana Schum., Thevetia Neriifolia ou Thevetia Ahouai. É também conhecida por Aguaí, Jorro-jorro, Patuá de Santo Inácio.

Cura é supertição já antiga

Esta planta tem flores grandes amarelas aromáticas e frutos carnosos com um núcleo duríssimo (drupa), as sementes são oblongo-trigonas, com o formato do chapéu do imperador Napoleão Bonaparte, daí a origem de um dos seus nomes populares.

Segundo, Manoel Pio Correia, na antiga e completa obra "Dicionário das Plantas Úteis do Brasil" (vol.II), esta planta "... é especialmente interessante sob o ponto de vista composição química da casca e do látex de que está impregnada e, sobretudo das sementes. Estas contém substâncias tóxicas, quando reduzidas a pó e este feito cataplasma, passou por neutralizar os efeitos do veneno da cobra cascavel.

Manoel P. Correia, na sua obra pioneira que data de 1926, há setenta e seis anos, já dizia que "os hervanários obtêm bom resultado material desta planta: eles vendem as folhas sob o nome de Coração de Jesus e as sementes sob os nomes de Fava Elétrica e Nós de Cobra. Garantem que três delas, penduradas ao pescoço, à guisa de amuleto, previnem e até curam o reumatismo, supertição já antiga entre os povos da América Central, porém que no Brasil foi introduzida há pouco tempo e vai se arraigando entre as criaturas ingênuas".



postado por: wanir vasconcelos de meneses 1:33 PM


Segunda-feira, Setembro 02, 2002

Neste espaço vamos publicar uma matéria muito interessante sobre uma semente que é capaz de eliminar suas dores na coluna ou reumáticas. Trata-se da Thevetia Peruviana, ou "Chapéu-de-napoleão".
Outra dica muito interessante é relacionada ao sal de cozinha. Aguardem!
Tanto a semente como o sal de cozinha proporcionam para os usuários fatores que melhoram a qualidade de vida.

postado por: wanir vasconcelos de meneses 12:01 AM



arquivo